Enfermagem de Alta Performance Livro - Einstein Libelula Seguros

ENFERMAGEM DE ALTA PERFOMANCE

“Comprimidos aliviam a dor. Mas apenas o amor alivia o sofrimento” (Patch Adams)

tecnico em enfermagem

Cuidar de quem cuida. Essa tem sido, nos últimos 23 anos, a principal das atribuições da Anadem (Sociedade Brasileira de Direito Médico e Bioética).

 

Manual completo em PDF - Baixe aqui.

 

Proteção Profissional ANADEM:

anadem enfermagem

 

São, atualmente, de acordo com dados do Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), 2.567.162 profissionais de enfermagem no Brasil, entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e obstetrizes.

Embora com tamanho peso eleitoral, a profissional dos enfermeiros tão necessária, mas, ao mesmo tempo, tão esquecida, não tem sido reconhecida no cenário político nacional. Tanto que um projeto de lei que regulamenta em 30 horas semanais a sua jornada de trabalho (PL n.o 2295/2000) tramita há mais de duas décadas pela Câmara dos Deputados e, desde 2014, está no Plenário aguardando ser incluído em pauta, apesar do regime de urgência já aprovado há mais de sete anos. Pelo menos duas dezenas de outros projetos de lei que regulamentam o piso salarial nacional da categoria, regras de repouso digno e outras melhorias nas condições de trabalho desses abnegados profissionais dormitam pelos escaninhos e gavetas de ambas as casas legislativas, sem perspectiva de avanço num futuro próximo, pelo menos na atual legislatura.

Ao longo da pandemia, algumas profissões demonstraram o quanto são importantes, necessárias e imprescindíveis. A enfermagem é uma delas. O profissional de enfermagem é quem está mais próximo do paciente e torna-se personagem determinante no processo de cura. Parafraseando Patch Adams, o medicamento prescrito pelo médico pode aliviar a dor, mas jamais o sofrimento. Esse somente será aplacado pelo amor, pelo carinho, pela atenção, pela empatia, pelos cuidados do profissional de enfermagem junto ao paciente.

Empatia, diga-se, não se resume apenas a “se colocar no lugar do outro”, mas, sim, a tentar sentir o que o outro sente, a ouvir com os ouvidos do outro, a ver com os olhos do outro, a pensar com o cérebro do outro e a sofrer com o coração do outro. Esse é o fundamento desse Manual de Enfermagem de Alta Performance.

 

Nele, são discutidas as empatias cognitiva e emocional, além da preocupação empática com o paciente, sentimentos que podem deflagrar, acelerar ou retardar e até bloquear um processo de cura. Além disso, as power skills, aqui divididas como soft skills (proatividade, gestão de conflitos, empatia, feedback, comunicação, inteligência emocional, liderança e conhecimento científico) e hard skill (capacidade técnica, assistência de excelência, conhecimento dos processos, conhecimento de normas e rotinas, segurança do paciente, gestão de risco, gestão da qualidade e visão T-Shaped), são tratadas, embora en passent, com bastante propriedade.

 

enfermeira hospital

 

Gostaria de receber nosso manual completo de Enfermagem de Alta Performance? Solicite gratuitamente atráves do email:

contato@libelulaseguros.com.br

 

enfermagem einstein

I.I. Posicionamento e ética

Daremos início a nossa jornada de conhecimento pelos elementos mais essenciais a todos nós, profissionais: o posicionamento e a ética. Agregar valor, direitos e deveres ao seu posicionamento, enquanto Enfermeiro, conduz ao novo formato de relações interpessoais que interfere diretamente na dimensão fundamental para a qualidade e excelência dos serviços de Enfermagem: a humanização.

Como líderes, temos o poder de mudar cenários por meio do nosso posicionamento, que funciona como espelho para os demais profissionais de nossa equipe. Uma vez que esses profissionais se sentem inseridos e pertencentes como indivíduos únicos, com papel fundamental para o sucesso institucional, cada membro da equipe entregará o mesmo tipo de cuidado e valor na assistência, como cita nosso próprio Código de Ética: “o cuidado da Enfermagem se fundamenta no conhecimento próprio da profissão e nas ciências humanas, sociais e aplicadas e é executado pelos profissionais na prática social e cotidiana de assistir, gerenciar, ensinar, educar e pesquisar” (Cofen, 1973, p. 2).

Além disso, trabalhamos nosso desenvolvimento profissional, que deve ser contínuo, e o de nossa equipe, como forma de gerenciar a assistência, educar e treinar habilidades necessárias para garantir a segurança do paciente por meio da responsabilidade, autonomia e liberdade, observando os preceitos éticos e legais da nossa profissão exemplificada no artigo 69 do nosso Código de Ética Profissional

 

USO DO COACHING NA ENFERMAGEM PARA O AUMENTO DE PERFORMANCE

Uma das grandes dificuldades vivenciadas pela Enfermagem é a capacidade de gestão e liderança em todos os níveis em que atua, o que gera uma restrição efetiva para a melhoria da qualidade de atendimento, indicadores assistenciais e metas de desenvolvimento. O processo de coaching direcionado à Enfermagem facilita o modelo de aprendizagem por meio da utilização e do reconhecimento de seus pontos fortes e pontos a serem desenvolvidos, com a finalidade de alcançar os resultados almejados.

O coaching como elemento de alto impacto para aumento de performance oferece aos profissionais de gestão e liderança uma nova alternativa, assumindo e dando uma nova conotação aos líderes que passam a ser educadores, melhorando principais habilidades que devem ser gerenciadas por um líder, tais como: comunicação, exercer influência e dar e receber feedbacks.

As principais Soft Skills, para a Enfermagem, são:

• conhecimento científico: a importância da busca contínua pelo desenvolvimento científico, bem como pelo aumento da produção científica na Enfermagem;

• liderança: capacidade de gerir pessoas, de mensurar competências, habilidade de relacionamento interpessoal e tomada de decisões;

• inteligência emocional: capacidade de autoconhecimento, empatia, gestão das emoções e sociabilidade;

• comunicação: capacidade de transmitir informações de forma assertiva, seja por meio verbal, escrito ou não verbal. A comunicação assertiva na Enfermagem é essencial para garantir a segurança do paciente;

• feedback: capacidade de dar feedback construtivo ou positivo para a sua equipe, mapear e acompanhar o desenvolvimento contínuo;

• empatia: capacidade de perceber o outro ser humano por meio da escuta ativa, eliminando qualquer julgamento;

• gestão de conflitos: capacidade de entender as diferenças entre a equipe e favorecer o crescimento, mapear possíveis pontos conflitantes e prevenir como falhas na comunicação. Saber o momento exato para intervir em um conflito e trabalhar sua resolução com eficiência; e

• proatividade: capacidade de se antever perante as situações no dia a dia na Enfermagem, planejar e resolvê-las.

 

Libélula Seguros | ANADEM